sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ahhh... as Papoulas...

A papoula é conhecida há mais de 5 mil anos - os sumérios já a utilizavam para combater problemas. Os antigos comiam a flor inteira ou a maceravam para obter o sumo. Na Mesopotâmia, curavam-se doenças como insônia e constipação intestinal com infusões obtidas a partir da papoula.
A papoula foi muito conhecida nos tempos remotos, tinha muito prestígio entre os médicos da Grécia antiga. Na mitologia grega era relacionada a Hipnos, o deus do sono, pai de Morpheu - que a tinha como planta favorita e, por isso, era representado com os frutos desta planta na mão. Há também uma estreita relação entre a papoula e a deusa grega Nix, a Noite. Deusa das Trevas, filha do Caos, é na verdade a mais antiga das divindades. Freqüentemente, ela é representada coroada de papoulas e envolta num grande manto negro e estrelado. Em muitas referências ela se localiza no Tártaro, entre o Sono e a Morte, seus dois filhos. Os romanos não a representavam em um carro, mas sempre adormecida.
A papoula é conhecida há mais de 5 mil anos - os sumérios já a utilizavam para combater problemas. Os antigos comiam a flor inteira ou a maceravam para obter o sumo. Na Mesopotâmia, curavam-se doenças como insônia e constipação intestinal com infusões obtidas a partir da papoula. Mais tarde, os assírios e depois os babilônios herdaram a arte de extrair o suco leitoso dos frutos para fazer remédios.
Hipócrates foi um dos primeiros a descrever seus efeitos medicinais contra diversas enfermidades. Há quem defenda que mais tarde, um médico grego em Roma, padronizou a preparação do ópio com uma fórmula (o mitridato) e a receitava aos gladiadores. O uso do ópio difundiu-se pela Europa no início do século XVI, mas sofreu forte combate quando a Igreja Católica começou a controlar os remédios. Foi por essa época que Paracelso, o famoso médico e alquimista suíço, elaborou um concentrado de suco de papoula - o láudano, que teria o poder de curar muitas doenças e até de rejuvenescer. A disseminação desta crença levou à popularização do seu uso em todo o mundo ocidental. Com o tempo e com a expansão das rotas comerciais, o ópio acabou por se tornar uma droga universal.

Por volta de 1803, o cientista alemão Frederick Sertuener, observando que os diferentes subprodutos da papoula produziam efeitos diversos, procurou isolar os elementos narcóticos do ópio. Assim, ele obteve um cristal alcalóide de efeito muito intenso: era a morfina.
Não é muuuuito comum encontrarmos papoulas aqui no Brasil... um que outro jardim tem essa flor tão linda, até lembra bastante uma Tulipa o formato da sua flor...
Aqui em casa elas nascem sozinhas... isso pq a semente que fica de um ano germina no próximo e sempre da um toque especial a um lugarzinho do jardim...

Abraço!!!

terça-feira, 20 de outubro de 2009


(Fonte de Fotos: Revista Paisagismo e Jardinagem)
Ao procurar um paisagista, você deve ter em mente seu gosto pessoal no quesito plantas, suas cores preferidas, pedir a ele informações sobre os estilos de jardim, entre outros... mas uma coisa deve estar bem clara em sua mente: Jardins compostos por espécies em que seu foco é a flor e que sejam anuais você terá que substituir no ano seguinte... apresentando um gasto anual... Você deve se perguntar: Será que vou ter fôlego para todo ano investir em meu jardim a fim de tê-lo sempre bonito? Se a resposta for não... tenho uma dica:


Aposte nos mais variados tons de VERDE... isso mesmo!!! Seu jardim não precisa ser o mais colorido para ser bonito, mas sim apresentar plantas saudáveis, coerentes com o espaço...

Aposte em plantas permanentes com variados tons de verde, texturas variadas, formas de folha isso tudo aliado ao fato de que anulamente oferecerão flores é claro... mas o foco é realmente a durabilidade de seu jardim...

Veja estas fotos... nota-se a presença de antúrios e bromélias floridas o restante das espécies não apresentam flores e isso não compromete em nenhum momento a beleza do jardim pois foi muito bem projetado considerando o degradê de verde!!!!

Particularmente eu gosto muito de trabalhar neste sentido de jardim durável, sem problemas de substituição contínua de espécies... Diminui muito os gastos dos clientes...

O que vocês acham?

Abraços!!!!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Natureza - muito além dos benefícios ambientais...

Um estudo realizado pelo Centro Médico universitário VU de Amsterdã, na Holanda, sugere que morar até três quilômetros de parques ou áreas de lazer que incluam vastas zonas de vegetação é benéfico para saúde mental. A pesquisa aconteceu com 350 mil pessoas, que tiveram suas fichas médicas e os endereços analisados. Os pesquisadores analisaram o grupo que morava nas proximidades das áreas verdes e aqueles que ficavam mais perto dos locais urbanizados. De acordo com o estudo, as pessoas que moram perto de parques e de áreas de lazer sofrem menos com problemas de depressão e ansiedade. Doenças como diabetes, problemas digestivos e doenças infecciosas também apresentaram uma queda. Outra característica dos pacientes que moram perto de áreas verdes é a recuperação mais rápida depois de cirurgias. Os cientistas explicam que um, em cada três pacientes que moravam nessas regiões, tiveram uma melhora muito melhor se comparada com aqueles que vivem em lugares mais urbanizados.

Esse texto está publicado no site: http://msn.minhavida.com.br/conteudo/10384-Morar-perto-de-areas-verdes-faz-bem-a-saude-mental.htm

Não consigo me imaginar sem o contato com as árvores, as folhas caindo, flores, pássaros... sem contato diário com a natureza me sentiria um passarinho na gaiola....

Plante sua árvore... e cuide dela e de todas as outras... aprecie desde um musgo até a mais imponente floresta... Com certeza vai te fazer muito bem!

Boa semana a todos!!!!!!!!

Quando o problema é espaço...

Apartamentos geralmente apresentam o problema de não dispor de grande área para criar um (mesmo que pequeno) jardim...
Então aqui vai a dica: JARDIM VERTICAL... é super prático, faz parte das novas tendências e fala a verdade... não fica um charme??? Imagine esses ambientes das fotos sem o jardim vertical... ficariam um tanto sem graça...
(Fonte de Fotos: Revista Casa e Jardim)
O que vc precisa para um jardim verical:
- treliças para suportar os vasos;
- dose diária de luminosidade e é claro... plantas do seu gosto desde que de porte pequeno ... pronto... é só instalar...
Abraço!!!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Espécies x Regiões

Em nosso país temos o privilégio da diversidade de clima, mas não se engane pois, cada região possui sua gama de espécies mais apropriadas, espécies nativas bem adaptadas... O jardim tropical é um dos que mais tem atraído fãs... no entanto algumas das espécies tropicais não resistem as geadas aqui do sul... E o que falar da implantação de um jardim estilo europeu na Bahia... não combina não é? Isso agride muito as espécies que não se adaptam totalmente ao clima de determinadas regiões...
Fique sempre atento à necessidade climática de cada espécie e adote estilos de jardins que incluam espécies de sua região geográfica... todas as espécies possuem um diferencial de beleza, morfologias riquíssimas... trabalhar com nossa flora contribui para a circulação da fauna, dispersão de sementes e preserva a identidade da região...


Abraço!!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Palmeira Ráfis - Tendência Interiores

Essa é a Palmeira Ráfis, Rhapis ou mesmo Ráfia... é uma palmeira originária da China.
Possui vários troncos finos com anéis semelhantes a bambu, revestidos de fibra espessa e depois lisos de cor verde. Folhas coriáceas palmadas lembrando um leque.

É excelente para decoração interna pelo verde escuro e sua boa adaptação a locais sombreados como interiores... Além disso, a combinação com outras espécies cria um mini jardim dentro de casa, um espaço de contemplação, purificação do ar e o próprio contato com plantas já proporciona um ambiente agradável... A composição da foto acima é de palmeiras ráphis e lírios da paz... uma ótima escolha !
É adequada para cultivo em vasos destinados a interiores iluminados ou formando grupos a pleno, sol ou meia sombra. As folhas podem ser totalmente verdes ou variegata...
Necessita de rega periódica, mas nada de solo encharcado... regue mais frequentemente em períodos quentes e menos na estação fria!
Abraço!!!!

Dracena - Tendência Interiores

A dracena é um planta ornamental fiável e resistente, excelente para interiores pela sua rusticidade, tolera locais onde há de baixa luminosidade natural, desde que frequentemente receba sua dose de radiação solar para conservar suas cores. Benéfica como purificadora do ar. No habitat natural podem atingir até 10 m de altura. Existem variedades bicolores e tricolores.
Gosta de água, mas não do solo encharcado. Manter a terra húmida durante a estação de crescimento e regar com moderação no Inverno deixando a terra secar parcialmente antes de regar.
Tem sido muito usada em interiores pela sua boa adaptação, beleza, facilidade de manutenção... é uma das últimas tendências em decoração de interiores no quesito plantas para decoração interior.

Abraços...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Jardins de Keukenhof - Amsterdam (Holanda)

Essas fotos são dos Jardins de Keukenhof em Amsterdam na Holanda... esses jardins são planejados anualmente pelos produtores de flores da Holanda a fim de expor suas variedades de flores a visitantes de todo o mundo....
Durante a primavera o jardim é visitado e contemplado por pessoas do mundo inteiro...
Não é o paraíso estes jardins?
A Holanda é o modelo da produção hortícola. Há mais de dois séculos que esta região produz plantas ornamentais. Com a construção das primeiras estufas, em finais do século
XIX, a produção tornou-se ainda mais intensiva.

Atualmente,a região é a rainha da produção de plantas bulbosas, como a tulipa...

Alguns horticultores especializam-se na produção de flores para ramos. Uma grande parte da produção europeia de flores de corte é vendida no mercado de Alsmeer,na Holanda, chegam a vender 1 milhão e meio de flores por dia !

Essa composição ficou muito linda néh... azul e amarelo contrastam muito bem...

A Holanda é conhecida como o país das Tulipas... no entanto a Tulipa é originária da Turquia e foi levada para a Holanda por volta de 1560, depois que o botânico Conrad von Gesner as catalogou em 1559, usando bulbos originais coletados em Constantinopla, atual Istambul. O nome da flor foi inspirado na palavra "tulipan" que significa "turbante" (o formato da tulipa lembra mesmo um turbante)... mas da Tulipa eu escrevo em outro post... aguardemmmmmm!!!

O jardim Keukenhof tem 28 hectares onde os horticultores holandeses cultivam cerca de 7 milhões de plantas de bulbos: narcisos, tulipas, amarílis, agapantos, etc... com certeza um dos jardins de flores mais espetaculares do mundo!!!!

Que tenhamos todos a oportunidade de conhecer lugares como esse... mas enquanto isso podemos criar nosso próprio jardim... mãos a obra!!!!!!!!!!

Abraços...

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Açucenas...

A açucena é uma planta apreciada no mundo todo. Os holandeses, no entanto, foram responsáveis pelo seu melhoramento genético. Possui flores cônicas, grandes, belíssimas e de coloração normalmente branca, rosa ou vermelha. Sua folhagem é também bastante ornamental.
Dependendo do híbrido, as folhas podem desaparecer durante o inverno. Na maioria das vezes seus bulbos são plantados em vasos, porém podemos formar maciços e bordaduras como se faz com as tulipas. É bastante exigente em fertilidade, irrigação e drenagem. Seu substrato deve conter boa quantidade de matéria orgânica.

É originária do Peru...
As de cor branca contrastam com flores das mais diversas cores, as de cor rosa e vermelha contrastam bem se plantadas com muito verde e espécies de flores lilás, azuis e brancas...
Essas fotos são de Açucenas aqui de casa, aproveitamos um cantinho do jardim para plantar várias delas... seu colorido encanta, e a mocinha da foto é minha mana!

Abraço e ótima sexta-feira!!!!!!

domingo, 13 de setembro de 2009

Glicínia - Lilás exuberante!!!

Esta é a Glicínia, uma planta trepadeira de grande valor ornamental. Por suas características, pode ser cultivada como um arbusto e até mesmo como um bonsai, dependendo das podas que forem realizadas.
Planta vigorosa e lenhosa, a glicínia produz belos cachos de flores nas colorações branca, lilás ou rosadas. A espécie Wisteria sinensis, nativa da China, apresenta cachos de flores com tamanho que não ultrapassa 30 cm. Já a Wisteria floribunda ou multijuga produz cachos floridos que podem atingir até 45 cm.
A glicínia se reproduz bem e floresce mais rapidamente por meio de estacas de galho, entretanto, o plantio pode ser realizado também através de sementes, apesar da floração ser mais demorada.
A planta necessita de sol direto para se desenvolver bem e florir bastante. Quanto ao clima, não é muito exigente, mas o ideal para o cultivo é o clima temperado. O solo para o plantio deve apresentar boa drenagem.

Um cuidado especial: as glicínias necessitam de boas regas, principalmente nos períodos de crescimento e floração, portanto, não descuide das regas, evitando deixar o solo excessivamente seco.
As podas, que devem ser realizadas durante os meses de abril e maio, é que vão determinar o formato da planta. De qualquer forma, a glicínia vai precisar ser tutorada para que seu crescimento seja ordenado.

Como planta de grande valor ornamental, a glicínia pode ser cultivada isoladamente ou combinada com uma ou mais variedades, resultando em belos efeitos no revestimento de caramanchões ou enroscando-se em troncos de árvores, colunas, grades e portões. Nos jardins ou varandas, pode até ser plantada em vasos grandes ou caixas que suportem bem o crescimento das raízes.
Sua tonalidade azul contrasta muito bem com flores de cor amarela e vermelhas.. produzindo um verdadeiro espetáculo em meio ao verde...
Sob outro aspecto, é importante destacar que a glicínia é muito apreciada pelas abelhas, sendo uma espécie muito valiosa para os apicultores.
Um abraço LILÁS GLICÍNIA a todosssss....

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Magnólias - Tulipa de Árvore

Esta é a Magnólia, também conhecida por Magnólia Japonesa ou Árvore Tulipa, devido ao formato das flores... As flores exuberantes podem atingir 15 cm de altura, e só florescerem após as folhas caírem, e caem pouco após o início da brotação.
Existem flores na cor rosa e também brancas chamada de Magnólia Lótus, pois a flor se assemelha muito a uma flor de Lótus branca.Magnólia é uma flor proveniente de plantas do gênero Magnolia L., família Magnoliaceae. Também é o nome popular das plantas deste gênero, nativas das zonas temperadas do hemisfério norte.As magnólias são árvores, arbustos ou arvoretas semi descíduas ou descíduas, apreciados como ornamentais em jardins, principalmente em locais declima temperado ou subtropical.

Alguns dos fósseis mais antigos de Angiospermas conhecidos apresentam flores semelhantes às magnólias. Alguns estudos sugerem que as magnólias podem ser as primeiras flores que surgiram no nosso planeta, mas isso não é comprovado.Enche-se profusamente de grandes flores, em forma de cálice, que cobrem os seus ramos nus, antes de aparecerem as primeiras folhas. As flores exalam um perfume agradável e, dependendo da variedade, as suas cores podem ir de um púrpura intenso, até a um rosa claro, ou, mesmo, branco puro. Algumas flores apresentam um interior completamente branco, conquanto as pétalas, por fora, possam apresentar várias tonalidades de rosa.
Cada flor é composta por seis pétalas de textura algo espessa e encerada, podendo atingir um diâmetro entre os 7 e os 15 cm, quando completamente abertas, parecendo quase um pires. Por isso é popularmente conhecida, em inglês, por “Saucer magnolia” (Magnólia-pires). Um exemplar adulto pode atingir os 9 metros de altura, mas, para isso, terá de se ser devidamente podado e conduzido como
Hoje já se vendem nos Viveiristas e nos Centros de Jardinagem, vários híbridos desta magnólia, os quais apresentam diferentes características, que vão do tamanho que o exemplar pode atingir, até à época de floração e à cor da flores...


Um abraço!!!!

domingo, 30 de agosto de 2009

Magnólia - Magnífica

Nas minhas andanças por aí... encontrei essa flor... nunca tinha visto!!!! Foi amor a primeira vista!!!! Vi ela na Universidade de Passo Fundo (aliás as fotos são lá de Passo Fundo - UPF)... perguntei a várias pessoas qual o nome dela e ninguém sabia me responder... estava encantada e doida para saber as características botânicas dela... mas nada... Até que ontem fuçando na internet encontrei uma fotografia dessa linda flor... Magnólia... por fim o mistério foi desvendado... Estou encantada pela beleza dela...
Estou pesquisando sobre ela e logo logo a descreverei para vocês com detalhes!!!!!
Um grande abraço à todos!!! Ótimo Domingãoooo...
Abraço

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Cerejeiras - Parque do Carmo (SP)

Como nos parques do Japão, os paulistanos tiveram no dia 02/08 a chance de observar a florada das cerejeiras em São Paulo. Foi no Parque do Carmo, na zona leste da cidade, durante a 31° festa das Cerejeiras com danças típicas e comida japonesa. A comemoração é para saudar as flores dadas pela Sakura (comentei em um dos antigos posts) uma espécie de cerejeira que não dá frutos, apenas flores ornamentais. A florada dura apenas dez dias...
A festa teve início nas comemorações de 70 anos da Imigração Japonesa no Brasil, quando para festejar a data, um grupo de japoneses da região se organizou para enfrentar o desafio de plantar Sakura (cerejeira) mesmo com a dificuldade do clima tropical brasileiro. Hoje, mais de 30 anos depois, o evento se fortalece e chega a receber cerca de 5 mil pessoas.
O parque tem cerca de 1000 árvores, plantadas há 34 anos, com mudas que vieram do Japão. De acordo com Koniti Wada, que participou do primeiro plantio, inicialmente as plantas não se adaptaram ao clima local e foram necessários 3 anos de trabalho para ter muda adaptadas. No Japão, cada árvore costuma viver até 100 anos. No Brasil, os especialistas calculam que elas não devem passar dos 50 anos. Por isso, novas mudas estão sendo plantadas em todo o bosque.
As flores da Sakura funcionam como uma espécie de radar das estações. A florada acontece entre o inverno e a primavera e anuncia o fim e o começo de uma nova estação. A cerejeira é árvore símbolo do Japão e é também associada à felicidade. Nos casamentos, é comum que os noivos tomem um chá com pétalas das flores da sakura. Segundo a tradição japonesa, o chá chamado sakaruayu, traz felicidade aos noivos.

No bosque também é possível observar árvores como ipês branco e roxo, pinheiros japoneses, azaléias e a quase extinta meta-sekoia, espécie do Japão que foi considerada extinta e reapareceu na China, sendo levada depois a várias partes do mundo, inclusive ao Brasil.
Para quem não tem a chance de ir até o Japão e apreciar essas belas árvores São Paulo é um pulinho...
Ano que vem aviso antecipadamente a data da 32° Festa das Cerejeiras para que possam ser admiradas!
Beijos!

Recebi por indicação da amiga virtual Angela Nogueira, criadora do blog Velejando nas Letras este meu primeiro selo. Repasso o mesmo para outros amigos, alguns que já me conhecem e outros não, cuja escolha foi motivada pela minha admiração e reconhecimento como leitora e seguidora dos seus blogs. Antes de postar a minha lista, transcrevo aqui as regras do jogo:
Regras para Postagem:
- Exiba a imagem do selo que você acabou de ganhar;
- Poste o link do blog que te indicou (muito importante);
- Indique 10 blogs de sua preferência, avise aos seus indicados e publique as regras;
- Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
Meu dever de casa:
– Bom, o selo já está exibido;
– Foi o blog Velejando nas Letras que indicou meu blog Natureza é Arte

Os 10 blogs que indico são:
Baú de Especiarias Transcul...
Cansada de Besar Sapos
Casa Comigo
Deu errado!
LÚCIA AMORIM
Mala surrada - Dicas e Viagens
Movimento Natureza
o caminho é para dentro
zen-do-asfalto
• Creations by Ziad •

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Sakura - Cerejeiras Japonesas

O Japão é mundialmente conhecido como “o país das cerejeiras”. Contudo, não é só aqui que existem esses tipos de árvores. Em outros países, como a China, por exemplo, ocorre um número bem mais variado de espécies nativas. Na verdade, o ponto diferencial é a devoção que os japoneses consagram ao sakura, simbolo de felicidade aos japoneses. De tal forma que desde antigamente o plantaram extensivamente nos parques, beiras de rios, jardins, calçadas e quintais. Das cerca de dez espécies primitivas chegou-se a mais de 500 híbridas. Todo esse esforço em função apenas de produzir floração cada vez mais agradáveis ao olhar.
De olho no zensen
Sakura zensen significa a linha do desabrochar das cerejeiras. Mais ou menos a partir da última semana de março, a floração das árvores do tipo someiyoshino, a espécie híbrida mais plantada no Japão, inicia-se nas regiões próximas ao litoral do Oceano Pacífico, desde Kyushu até a altura de Tokyo, e vai subindo paulatinamente em direção ao norte, estimulada pela elevação da temperatura. Esse processo, que leva cerca de um mês para atravessar todo o país, é tão importante e atentamente acompanhado pelo povo que até a Agência de Meteorologia do governo nacional faz todos os anos uma meticulosa previsão do florescimento, e os meios de comunicação a divulgam amplamente.
Diante desses dados os festeiros poderão se organizar com os amigos, familiares ou companheiros de trabalho para fazer o hanami, que literalmente significa contemplar a flor, mas que também pode-se entender como fazer piquenique debaixo das árvores floridas.

Sakura Matsuri
Muitas cidades também realizam eventos para festejar a floração, os chamados Sakura Matsuri. Um dos que acontecem mais cedo no país é o da cidade de Miyakonojō, da província de Miyazaki, que este ano (2008) foi nos dias 29 e 30 de março.
Hanami
O Sakura Matsuri de Miyakonojō acontece anualmente no parque Mochio, que conta com 2,6 mil cerejeiras. Elas formam um túnel de dois quilômetros de extensão. O local está incluído entre os 100 melhores do Japão para fazer hanami.Além dos eventos do matsuri, à noite as árvores são iluminadas durante o período da floração. O parque fica na base do morro onde está o templo xintoísta Mochio-jinja. Vale a pena subir até lá em cima para contemplar a paisagem a partir de um mirante e ver do alto os dois quilômetros de flores.
Informações úteis
Parque Mochio - Fica a 5 quilômetros ou cerca de dez minutos de carro da estação Nishi-Miyakonojō. Site da Associação de turismo de Miyakonojō: http://miyakonojo.tv/
Como chegar
A JAL tem vôos para o aeroporto de Miyazaki a partir de Haneda (Tokyo), Itami (Osaka), Hiroshima e Fukuoka. Do aeroporto parte ônibus até a estação Nishi-Miyakonojō (tarifa: ¥ 1.590; percurso: 1 hora).

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Hoje, o tema é a Margarida... oras, quem nunca fez "bem-me-quer, malmequer" uma vez na vida numa referência ao hábito de desfolha-la para saber se é amada (o)? A Margarida é associada a idéia de simplicidade e modéstia. Na época vitoriana, era um nome bastante popular, pelo qual eram designadas as moças doces e meigas.
Há referências de que o nome desta planta seja provavelmente uma menção a Margaret de Anjou, esposa de Henrique VI, que sucedeu aos tronos da França e da Inglaterra em 1422. Ela costumava bordar essa flor em sua endumentária.
Existem mais de 20 mil variedades desta flor espalhadas pelo mundo, com várias denominações...
Prefere clima ameno a frio, solo rico em matéria orgânica, exposição ao sol pleno e irrigação dosada (gosta de água, mas nada de solo encharcado)...
Encanta pela sua simplicidade...
Abraços!!!!!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Ipê Amarelo - Flor Nacional







Esse túnel de Ipês fica na cidade onde moro, Santo Ângelo... lindo ! Que a primavera chegue logo!!!
Você sabia que em 1961, o então presidente Jânio Quadros declarou o Pau-Brasil a Árvore Nacional e o Ipê-Amarelo, da espécie Tabebuia vellosoi, a Flor Nacional? Pois é!!!
O ipê amarelo é a árvore brasileira mais conhecida, a mais cultivada e, sem dúvida nenhuma, uma das mais belas. É na verdade um complexo de nove ou dez espécies com características mais ou menos semelhantes, com flores brancas, amarelas ou roxas. Não há região do país onde não exista pelo menos uma espécie dele, porém a existência do ipê em habitat natural nos dias atuais é rara entre a maioria das espécies (LORENZI,2000).
A espécie Tabebuia alba, nativa do Brasil, é uma das espécies do gênero Tabebuia que possui “Ipê Amarelo” como nome popular. O nome alba provém de albus (branco em latim) e é devido ao tomento branco dos ramos e folhas novas.
As árvores desta espécie proporcionam um belo espetáculo com sua bela floração na arborização de ruas em algumas cidades brasileiras. São lindas árvores que embelezam e promovem um colorido no final do inverno. Existe uma crença popular de que quando o ipê-amarelo floresce não vão ocorrer mais geadas. Infelizmente, a espécie é considerada vulnerável quanto à ameaça de extinção.
A Tabebuia alba, natural do semi-árido alagoano está adaptada a todas as regiões fisiográficas, levando o governo, por meio do Decreto nº 6239, a transformar a espécie como a árvore símbolo do estado, estando, pois sob a sua tutela, não mais podendo ser suprimida de seus habitats naturais.Originária do Brasil é a espécie de ipê mais utilizada em paisagismo. Durante o inverno, as folhas do ipê-amarelo caem e a árvore fica completamente despida. No início da primavera, entretanto, ela cobre-se inteiramente com sua floração amarela, dando origem ao famoso espetáculo do ipê-amarelo florido. Quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada!!!!
Já escreveu um livro? Já fez um filho? E a árvore já plantou? Pode começar plantando um Ipê Amarelo!!!!
Beijosssssssss

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Butchart Gardens - mais algumas imagens...





Lindo demais... ainda visitarei!!!
Beijosss

sábado, 20 de junho de 2009

Butchart Gardens


Com mais de 220.000 m² e mais de um milhão de plantas de 700 espécies diferentes o Butchart Gardens é um dos parques mais famosos do Canadá. Executado há mais de 100 anos, ele é a concretização do sonho da jardinista Jennie Butchart em recuperar uma área destruída pela pedreira que a empresa de seu marido explorava. A árdua tarefa começou em 1904, quando Jennie mandou trazer toneladas de terra no lombo de cavalos e em carroças para forrar a pedreira. O trabalho só terminou duas décadas depois, quando as espécies se desenvolveram o suficiente para dar forma ao jardim que a jardinista imaginou. Não demorou muito e o local ganhou fama e começou a atrair turistas de várias partes do mundo. Hoje o jardim é considerado um Parque Histórico Nacional e recebe mais de 1 milhão de pessoas por ano.
O parque Butchart é composto por cinco grandes jardins - Jardim de Rosas, Jardim Japonês, Lagoa da Estrela, Jardim Italiano e o principal, Jardim Submerso (foto acima) -, todos interligados por caminhos e outros pequenos jardins. O Jardim Submerso fica exatamente onde antes existia a pedreira, o colorido de seus canteiros impressiona!
Localizado a 21 km de Victória, a capital de British Columbia, no Canadá. O horário de visitação varia de acordo com a estação do ano. Detalhes no site do Butchart Gardens: www.butchartgardens.com
(Fonte: Revista Natureza, ed.: 249).