quinta-feira, 25 de junho de 2009

Ipê Amarelo - Flor Nacional







Esse túnel de Ipês fica na cidade onde moro, Santo Ângelo... lindo ! Que a primavera chegue logo!!!
Você sabia que em 1961, o então presidente Jânio Quadros declarou o Pau-Brasil a Árvore Nacional e o Ipê-Amarelo, da espécie Tabebuia vellosoi, a Flor Nacional? Pois é!!!
O ipê amarelo é a árvore brasileira mais conhecida, a mais cultivada e, sem dúvida nenhuma, uma das mais belas. É na verdade um complexo de nove ou dez espécies com características mais ou menos semelhantes, com flores brancas, amarelas ou roxas. Não há região do país onde não exista pelo menos uma espécie dele, porém a existência do ipê em habitat natural nos dias atuais é rara entre a maioria das espécies (LORENZI,2000).
A espécie Tabebuia alba, nativa do Brasil, é uma das espécies do gênero Tabebuia que possui “Ipê Amarelo” como nome popular. O nome alba provém de albus (branco em latim) e é devido ao tomento branco dos ramos e folhas novas.
As árvores desta espécie proporcionam um belo espetáculo com sua bela floração na arborização de ruas em algumas cidades brasileiras. São lindas árvores que embelezam e promovem um colorido no final do inverno. Existe uma crença popular de que quando o ipê-amarelo floresce não vão ocorrer mais geadas. Infelizmente, a espécie é considerada vulnerável quanto à ameaça de extinção.
A Tabebuia alba, natural do semi-árido alagoano está adaptada a todas as regiões fisiográficas, levando o governo, por meio do Decreto nº 6239, a transformar a espécie como a árvore símbolo do estado, estando, pois sob a sua tutela, não mais podendo ser suprimida de seus habitats naturais.Originária do Brasil é a espécie de ipê mais utilizada em paisagismo. Durante o inverno, as folhas do ipê-amarelo caem e a árvore fica completamente despida. No início da primavera, entretanto, ela cobre-se inteiramente com sua floração amarela, dando origem ao famoso espetáculo do ipê-amarelo florido. Quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada!!!!
Já escreveu um livro? Já fez um filho? E a árvore já plantou? Pode começar plantando um Ipê Amarelo!!!!
Beijosssssssss

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Butchart Gardens - mais algumas imagens...





Lindo demais... ainda visitarei!!!
Beijosss

sábado, 20 de junho de 2009

Butchart Gardens


Com mais de 220.000 m² e mais de um milhão de plantas de 700 espécies diferentes o Butchart Gardens é um dos parques mais famosos do Canadá. Executado há mais de 100 anos, ele é a concretização do sonho da jardinista Jennie Butchart em recuperar uma área destruída pela pedreira que a empresa de seu marido explorava. A árdua tarefa começou em 1904, quando Jennie mandou trazer toneladas de terra no lombo de cavalos e em carroças para forrar a pedreira. O trabalho só terminou duas décadas depois, quando as espécies se desenvolveram o suficiente para dar forma ao jardim que a jardinista imaginou. Não demorou muito e o local ganhou fama e começou a atrair turistas de várias partes do mundo. Hoje o jardim é considerado um Parque Histórico Nacional e recebe mais de 1 milhão de pessoas por ano.
O parque Butchart é composto por cinco grandes jardins - Jardim de Rosas, Jardim Japonês, Lagoa da Estrela, Jardim Italiano e o principal, Jardim Submerso (foto acima) -, todos interligados por caminhos e outros pequenos jardins. O Jardim Submerso fica exatamente onde antes existia a pedreira, o colorido de seus canteiros impressiona!
Localizado a 21 km de Victória, a capital de British Columbia, no Canadá. O horário de visitação varia de acordo com a estação do ano. Detalhes no site do Butchart Gardens: www.butchartgardens.com
(Fonte: Revista Natureza, ed.: 249).

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Bromélias... quem não se encanta?

Aqui um belo exemplar de Bromélias. Presentes em quase todos os biomas Brasileiros, elas têm como principal característica a versatilidade... Existem cerca de 60 gêneros e, aproximadamente 3200 espécies, sendo mais de 50% nativas do Brasil. Trata-se de uma das mais adaptáveis famílias de plantas do mundo, por terem uma impressionante resistência para sobreviver e por apresentar infinitas e curiosas variedades de formas e combinações de cores. A maioria é epífita (cresce em árvores), mas há também espécies terrestres e rúpículas (em rochas).

Exigem poucos cuidados e crescem em quase todos os tipos de solo, desde que bem drenados e não muito compactados. Apreciam umidade mas não suportam solos muito encharcados.

Quanto à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue... é puro MITO!!! O inseto se reproduz em água limpa e os tanques das bromélias contém matéria orgânica em decomposição, não sendo propícia para o seu desenvolvimento. Mas atenção, o mosquito encontra, sim, local propício para depositar seus ovos na água que se acumula em recipientes artificiais, como latas, garrafas, pneus velhos, pratos de vasos, etc., resultado da falta de saneamento básico e conscientização das pessoas. Para saber mais, acesse o site da Sociedade Brasileira de Bromélias: http://www.bromelia.org.br/
(Fonte: Revista Paisagismo e Jardinagem, ed n°70)

Expectativas

Olá a você que visita o Natureza e Arte!
Minha intenção, ao criar este espaço, é dividir com vocês o amor incondicional à cada flor, fruto, a cada folha caída, a cada musgo de cada árvore que faz desse mundo tão belo....
A natureza é uma tela pintada por Deus, é pura ARTE !!!!
Aqui, vou expor minhas idéias sobre paisagismo, cuidado com plantas, além de exibir jardins e paisagens que levam em conta a arquitetura, o relevo, entre outros requisitos que se deve observar ao montar seu jardim otimizando todas as ferramentas de que se dispõe!
Abraço à todos
Márcia